Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Baixo Guandu recebe avaliação muito positiva em Saúde, Gestão Fiscal e Proteção aos Cidadãos, de acordo com o TCE-ES

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-ES), num trabalho em parceria com o Instituto Rui Barbosa, divulgou na semana passada o Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), uma avaliação feita nos 78 municípios capixabas com base no ano de 2016. (Confira o índice clicando aqui)
 
O IEGM permite a mensuração dos serviços públicos e da efetividade de políticas públicas, a medição da qualidade dos gastos e dos investimentos realizados, elucidando se a visão e os objetivos estratégicos dos municípios estão sendo alcançados de forma efetiva.
 
Na classificação geral, observados 7 setores específicos (Educação, Saúde, Planejamento, Gestão Fiscal, Meio Ambiente, Cidades Protegidas e Governança em Tecnologia da Informação), Baixo Guandu obteve a nota “B”, ou seja Efetiva dentro dos parâmetros de avaliação do Instituto Rui Barbosa.
 
Apenas a capital, Vitória, recebeu a classificação geral B+, ou seja, muito efetiva, e Baixo Guandu está entre os 23 municípios que receberam a indicação B, considerada Efetiva. Outros 44 municípios capixabas receberam a classificação C+, que significa  em Fase de Adequação e  finalmente 11 municípios do Espírito Santo foram classificados como C –  Baixo Nível de Adequação.
 
Dos itens analisados pelo Instituto Rui Barbosa, em parceria com o Tribunal de Contas, Baixo Guandu recebeu avaliação altamente positiva (B+, Muito Efetiva) em Saúde, Gestão Fiscal e Proteção aos Cidadãos. Em Meio Ambiente a nota foi B (Efetiva); em Educação e Governança em Tecnologia a classificação foi C+ (em Fase de Adequação) e apenas em Planejamento aconteceu a nota mais vulnerável – C, com baixo nível de adequação.
 
No cômputo geral, com a classificação B (Efetiva), Baixo Guandu ficou entre os municípios mais bem avaliados do Espírito Santo, à frente, por exemplo,  de Anchieta, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Domingos Martins, Linhares, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, São Gabriel da Palha e São Mateus. A classificação Efetiva, caso de Baixo Guandu, foi alcançada por apenas 23 municípios.

Saúde, Gestão Fiscal e Proteção aos Cidadãos

Para aparecer com índice B+ (Muito Efetivo) na Saúde, os avaliadores do Instituto Rui Barbosa em parceria com o Tribunal de Contas avaliaram em Baixo Guandu a Atenção Básica, cobertura e ação do Programa Saúde da Família, atuação do Conselho Municipal de Saúde, assiduidade dos médicos, atendimento à população para tratamento de doenças como tuberculose, prevenção de doenças como a dengue, controle de estoques e insumos, cobertura de campanhas de vacinação e de orientação à população.
 
Na Gestão Fiscal, foram observados na avaliação da administração municipal a execução financeira e orçamentária, as decisões com relação à aplicação de recursos vinculados, a transparência da administração municipal e a obediência aos limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
 
No que se refere a Proteção dos Cidadãos, Baixo Guandu se destacou positivamente pelo planejamento municipal frente a possíveis eventos de sinistros e desastres. A avaliação reuniu informações também positivas com relação a Plano de Contingência, identificação de riscos para intervenção do Poder Público e Infraestrutura da Defesa Civil.
 
O prefeito Neto Barros avaliou como “muito positiva” a excelente classificação de Baixo Guandu no IEGM, destacando que o resultado deve ser creditado ao trabalho de toda a sua equipe de Governo e dos servidores em geral.
 
Neto afirmou que a eficiência administrativa deve ser uma constante no processo de gestão, acentuando que a avaliação feita pelo Tribunal de Contas e pelo Instituto Rui Barbosa merece profunda análise para aprimorar ainda mais o trabalho desenvolvido pela Prefeitura.

 

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.