Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Técnicos discutem na cidade o Plano Estadual de Recursos Hídricos

Técnicos da Agência Estadual de Recursos Hídricos estiveram em Baixo Guandu, na semana passada, incluindo a cidade na série de consultas públicas regionais que estão sendo feitas a nível de Estado, no processo de elaboração do Plano Estadual de Recursos Hídricos – o PERH/ES.
 
O encontro aconteceu no auditório do Circulo Operário e contou com a presença de secretários municipais, representantes de empresas locais que utilizam a água em seu processo industrial, técnicos ligados ao setor de agricultura, representantes do Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Guandu, vereadores e interessados de modo geral. 
 
Durante pouco mais de uma hora, os representantes da Agência Estadual de Recursos Hídricos fizeram uma explanação do que o Estado pretende com a elaboração de um plano estadual voltado para a água, focando especialmente a realidade local –  a Bacia do Rio Guandu. 
 
O Governo do Estado está realizando este Plano Estadual de Recursos Hídricos para definir, nos próximos 20 anos, os rumos do desenvolvimento social e econômico sustentável do Espírito Santo, de acordo com a disponibilidade da água em suas 14 bacias hidrográficas.
 
Existe hoje uma forte preocupação com relação à situação climática no Estado e a disponibilidade de água para desenvolver projetos econômicos, a grande maioria deles dependentes de água. 
 
O Espirito Santo atravessa desde o ano de 2014 a maior estiagem dos últimos 80 anos, com reflexos diretos na economia especialmente voltada ao setor agropecuário. 
 
Uma das providências adotadas pelo Governo foi a adoção de um programa de construção de barragens, que deve beneficiar um total de 80 localidades até o próximo ano. Algumas já foram inauguradas e existem várias em construção, beneficiando especialmente municípios onde a estiagem é mais forte.
 
Baixo Guandu vai receber a construção de duas barragens, ambas na região do Queixada (córregos Bomfim e Pinga Fogo), cujo processo de licitação está em fase final. A expectativa é que as obras destas barragens se iniciem ainda no mês de agosto, com prazo de 180 dias para conclusão.
 
Nas duas barragens do Queixada, que é considerada uma das regiões mais secas do Estado, serão aplicados recursos na ordem de R$ 3,5 milhões. Baixo Guandu pode receber ainda outras duas barragens, em pontos estratégicos na região do córrego Lage.

 

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
Skip to content