Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Empresa guanduense amplia área industrial e investe em novos produtos na área da madeira

Com 11 anos de atuação em Baixo Guandu, a empresa Serraria Binda passa por um processo de forte diversificação  de atividades, oferecendo novos produtos no mercado, com compra de equipamentos e ampliação da área industrial.
 
A Serraria Binda iniciou suas atividades em 2006, produzindo  apenas madeira serrada e pallets para indústrias da região, mas hoje atua em novas áreas: está fabricando mourões de cerca com madeira tratada, atende no fornecimento de madeira com corte específico para carregamento de navios e seu mais novo investimento é numa fábrica de móveis rústicos.
 
Mesmo num momento de forte retração da economia, os proprietários Wilton Carlos Binda e Cleidia Barreto Binda acreditaram no potencial da indústria e desde o final do ano passado investiram na diversificação.
 
“Iniciamos com o pallet e sentimos a necessidade de ampliar nossos produtos. Investimos na ampliação da área industrial, adquirindo área e construindo um novo galpão em estrutura metálica. Adquirimos  também um autoclave para tratamento de madeira e entramos no mercado de mourões para cerca”, afirma o proprietário Wilton Binda.
 
A Serraria Binda possui duas áreas distintas em Baixo Guandu: uma localizada às margens da BR 259, próximo ao bairro Residencial Ricardo Holz, e outra  situada no polo industrial que fica no trevo do final da avenida Santa Terezinha.
 
Na primeira área, com pouco mais de 12 mil m², (sendo 4.800 m² de área construída) a Serraria Binda mantém o setor de estoque, o corte da madeira e a industrialização em forma de pallet e de material específico para fornecimento às empresas de navegação. Ali também está localizado o processo de tratamento da madeira e fabricação de mourões de cerca.
 
Já na unidade localizada no polo industrial, a “Móveis Mundo”, atua também na fabricação de pallets e agora se volta para o setor moveleiro. “Vamos fabricar ali móveis rústicos, utilizando nossa maior matéria prima, que é o eucalipto, além de madeira de lei. É uma aposta nossa na diversificação de nossas atividades”, explicou o diretor Wilton Binda.
 
A indústria guanduense forma uma cadeia produtiva que vai desde os funcionários diretos, (27), os terceirizados (37) e ainda dezenas de produtores que fornecem o eucalipto para a industrialização da madeira.
 
Mesmo diante da crise econômica, a Serraria Binda não fez demissões e aposta na ampliação do mercado de trabalho local, com o pleno funcionamento da fábrica de móveis rústicos. 
“Num momento de dificuldades da economia, optamos por ampliar nossa indústria e diversificar aquilo que podemos oferecer no mercado na área da madeira”, explicaram os diretores da serraria Wilton Binda e Cleidia Barreto Binda, que nunca deixaram de acreditar no potencial da empresa.
 
Hoje a Serraria Binda beneficia anualmente cerca de 3 mil metros cúbicos de madeira de eucalipto, em diversas fases de produção após o plantio, sendo quase 100% da matéria prima adquirida em Baixo Guandu (a maioria), Pancas e Colatina.
 
O investimento na ampliação, de acordo com os diretores Wilton e Cleidia, está valendo a pena pela ótima aceitação dos produtos da Serraria Binda no mercado, aliando qualidade e preços competitivos.

Os dirigentes da Serraria Binda acreditam também no potencial de Baixo Guandu, que segundo eles apresenta um momento de crescimento econômico excelente, capaz de servir de incentivo para novos investimentos.
 

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
Skip to content