Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Projetos da Prefeitura garantem R$ 300 mil para duas associações

Dois projetos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento de Baixo Guandu, ambos aprovados pela Fundação Banco do Brasil, garantiram uma verba de R$ 300 mil à Associação de Catadores de Material Reciclável (Ascamare), que foi fundada na cidade em 2013.

Estes recursos estão beneficiando também a Associação de Costureiras de Mascarenhas (a Iluminarte), que desenvolve capacitação para as 22 associadas em serigrafia e confecção de material utilizando malha ecológica.


O ex-secretário de Desenvolvimento Clóvis Rodrigues, que hoje ocupa o cargo de superintendente da Prefeitura, explicou que a Ascamare já obteve, em 2015, o prêmio de Inovação na Gestão Municipal da região Centro Norte, concedido pela Secretaria Estadual de Gestão e Recursos Humanos.
 
No ano passado a Associação de Catadores apresentou o projeto “Catar para Colher” à Fundação Banco do Brasil, tendo recebido um prêmio de R$ 50 mil para suas atividades. E a Ascamare ganhou mais uma verba de R$ 250 mil dentro de um novo projeto apresentado, denominado “Arte Sustentável”, recurso que foi desmembrado para beneficiar também a Associação de Costureiras de Mascarenhas (Iluminarte).
 
O recebimento desta premiação de R$ 300 mil vai ser formalizado no próximo dia 7 de abril, mas os recursos já estão disponíveis e estão sendo utilizados. A Ascamare, que tem 12 associados, comprou prensa, balança e empilhadeira para os trabalhos que desenvolve, um veículo Fiat Strada que vai atuar na coleta seletiva  em Baixo Guandu e está capacitando seu pessoal para atuar nesta atividade.
 
Já a Iluminarte, de Mascarenhas, está capacitando suas associadas em serviços de serigrafia e vai adquirir malha ecológica que utiliza material reciclável, para confecção de camisetas tendo como tema a diversidade de peixes encontrados em Baixo Guandu.
 
Entusiasmado com a utilização dos recursos, o superintendente Clóvis Rodrigues destacou todo o trabalho de equipe na elaboração dos projetos premiados pela Fundação Banco do Brasil e agradeceu ao apoio do prefeito Neto Barros. “A Ascamare, por exemplo, reuniu os catadores de material reciclável na cidade e os inseriu num processo produtivo que garante renda aos associados”, explicou.
 
Clóvis Rodrigues informou que a Prefeitura já elabora, na assessoria jurídica, a minuta de um contrato para repassar à Ascamare a responsabilidade pela coleta seletiva da cidade, lembrando que os recursos da Fundação Banco do Brasil já possibilitaram a aquisição de um veículo para esta finalidade.
 
Esta forma inovadora de gestão em Baixo Guandu, de acordo com Clovis Rodrigues, está fazendo a diferença num período de crise econômica forte no país.”O prefeito Neto Barros é um entusiasta deste modelo inovador, nos deu todo o apoio e os resultados estão aparecendo”, complementou.

 

 

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.