Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Copa do Brasil: Saúde alerta torcedores sobre o risco do estresse para o coração

No país do futebol, que tem cinco títulos mundiais conquistados e que exporta craques, alguém duvida que será difícil segurar a emoção durante os jogos do Brasil na Copa do Mundo, principalmente com a chance de chegar ao hexa disputando em casa?

Mas saiba que esse clima de expectativa e ansiedade é um forte fator de risco para internações por problemas cardiológicos. Segundo especialistas, o estresse causado por assistir partidas de futebol pode aumentar o risco de eventos cardiovasculares, principalmente em portadores de doenças coronarianas.

Portanto, se você é um apaixonado por futebol e se exalta durante as partidas: cuidado! Fique atento a sintomas como falta de ar, dor no peito, sudorese fria, tontura, palpitação, mal-estar que não consiga definir, palidez exacerbada e até um eventual desmaio. Esses sintomas são as principais queixas cardiológicas registradas em serviços de urgência e emergência por torcedores apaixonados. A qualquer um desses sinais, procure um serviço de saúde perto de sua casa.

Pesquisas

Há estudos científicos que comprovam o aumento de atendimentos em prontos-socorros por queixas cardiológicas, após partidas de Copa do Mundo e lembra que esse é um assunto que desperta interesse internacional, já que as 64 partidas são assistidas por milhões de pessoas no planeta.

Um dos estudos apontou um aumento de 25% na incidência de infarto do miocárdio relacionado a jogo Inglaterra x Argentina, na Copa de 1998. No Brasil, uma pesquisa feita pela Universidade de São Paulo (USP) mostrou crescimento de até 16% no número de internações em hospitais por problemas cardíacos durante as partidas do Brasil na Copa do Mundo, ao contabilizar dados durante os últimos quatro campeonatos mundiais.

Dicas

O risco de complicações ocorre porque muitas pessoas desconhecem ter doenças que são fatores de risco. Muitas pessoas não sabem que são hipertensas, por exemplo, e podem sofrer um pico hipertensivo (elevação da pressão arterial) desencadeado por descarga de adrenalina durante uma partida decisiva. É preciso que as pessoas estejam atentas aos sinais de complicação e busquem um serviço de saúde.

A dica vale também para quem já sabe que tem fator de risco. Mas longe de tirar o gostinho de quem quer curtir as partidas, a orientação para as pessoas portadoras de doenças que são fatores de risco para eventos cardiológicos é que tomem sua medicação na dose e nos horários corretos. E mais: evitar os excessos de sal e gordura.

Outra dica é moderar na comida, na bebida e na dose de emoção para que o organismo suporte melhor a descarga de adrenalina, que na realidade funciona como uma reação normal do corpo a uma situação de perigo ou estresse: as veias e artérias se contraem, o coração passa a bater mais rápido e com mais força, necessitando de maior esforço para levar oxigênio ao restante do corpo.

Uma medida também é optar por comidas mais leves, saladas e frutas, e procurar evitar bebida alcoólica. Se beber, intercale com copos de água para ajudar na hidratação.

Sinais de alerta

– Palpitações
– Tontura
– Dor no peito
– Mal-estar geral
– Ansiedade excessiva
Obs: Na constatação desses sinais, procure atendimento médico

Informações à Imprensa
Assessoria de Comunicação PMBG
Eduardo Candeias
Fabiano Damasceno
noticia@pmbg.es.gov.br
(27) 3732-8914
Edição: Eduardo Candeias
Fontes: Com informações da Sesa e Revista Brasileira de Cardiologia

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.