Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Institutos anunciam boas chuvas em janeiro e fevereiro, mas o prejuízo com a seca é grande

“Sem água suficiente para produzir, o homem do campo em Baixo Guandu sofre muito com a falta de chuva nos últimos anos, o que deixa evidente que estamos mesmo vivendo um período de mudanças climáticas”.
 
A afirmação é do secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Allony Torres, que ontem, ao analisar os anos seguidos de estiagem em Baixo Guandu, revelou uma boa notícia: institutos de meteorologia do Brasil e dos Estados Unidos estão prevendo que janeiro e fevereiro de 2020 serão de muita chuva no município.
 
“Se os institutos de meteorologia estiverem certos, teremos boas chuvas neste começo de 2020 e janeiro começou bem, com cerca de 100mm de precipitações  na primeira semana”, explicou o secretário Allony Torres.
 
O Instituto Climatempo, do Brasil, prevê que os primeiros meses do ano serão bastante chuvosos na região Sudeste, com  formação  das chamadas ZCAS (zonas de convergência do Atlântico Sul), que facilitam os corredores  de umidade vindos da Amazônia, trazendo como consequência chuvas para o Sudeste, onde está inserido o estado do Espírito Santo.
 
O Instituto de Meteorologia norte-americano NOAA, foi além na previsão de boas chuvas entre janeiro e fevereiro no Espírito Santo. Segundo este instituto, as chuvas em janeiro poderão ser superiores a 300mm na região de Baixo Guandu, e em fevereiro pode chover entre 200 e 300mm (Veja gráficos no final da matéria)
 
Para o secretário de Desenvolvimento Rural Allony Torres, se confirmadas estas chuvas, serão um alento para o meio rural, que sofre uma forte estiagem desde 2014, com déficit acumulado de chuvas em torno de 1.200mm.
 
O produtor, segundo Allony, sofreu danos graves nos últimos anos: quem lida com pecuária teve que vender muito do seu gado para evitar mortes no rebanho, enquanto as pastagens morriam e a maioria  não conseguiu  recuperar o alimento principal para o gado.
 
O café e outras atividades do interior também sofreram muito desde 2014, conforme o secretário de Desenvolvimento Rural, que considera o planeta estar vivendo mudanças climáticas importantes, entre eles a falta de chuvas em determinadas regiões.
 
“Hoje temos um forte déficit hídrico nos últimos 6 anos em Baixo Guandu, com pouca chuva entre 2014 e 2019. São cerca de 1.200mm a menos de chuva do que era esperado”, falou Allony, cuja equipe na Secretaria de Desenvolvimento Rural  tem se desdobrado para atender ao produtor rural dentro da circunstância grave que é a estiagem prolongada.
 
Somente a regularização das chuvas, conforme o secretário Allony, pode  trazer um alento melhor ao campo neste quadro de dificuldades. “Começamos janeiro de 2020 com boas chuvas e espero que neste ano tenhamos um resultado melhor para o interior, que sofre as consequências da estiagem desde 2014”, finalizou Allony Torres.


Em janeiro, o instituto NOAA prevê chuvas de até 300mm em Baixo Guandu


Em fevereiro, o instituto NOAA considera que pode chover entre 200 e 300mm no município

 

Histórico dos índices de chuva em Baixo Guandu de 1942 a 2019

Média anual de chuvas em Baixo Guandu de 1942 a 2019: 906,80mm

 
1) Estão grifados em vermelho todos os anos que a chuva não atingiu a média histórica anual.
2) De 1942 a 1976, os dados foram extraidos do boletim pluviométrico da bacia do rio Doce, do Ministério das Minas e Energia.
3) De 1976 em diante os registros foram feitos pelo INCAPER de Baixo Guandu. 

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
Skip to content