Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Prefeito Neto diz que acordo proposto pela Samarco é tentativa de ludibriar os municípios

O prefeito Neto Barros rejeitou com veemência, ontem (20/11) a proposta da Fundação Renova para reparação dos prejuízos causados pela lama da Samarco, em 2015, que oferecia uma quantia em dinheiro aos municípios capixabas e mineiros desde que eles abrissem mão na Justiça de qualquer ação contra as mineradoras Vale e BHP, responsáveis pelo desastre.
 
“É uma proposta indecente e ilegal. Indecente porque contraria os interesses da população. Nós estamos falando do maior crime ambiental da história do Brasil no ramo da mineração, que ainda tem problemas sequer mensurados. E ilegal porque impede que os municípios discutam na Justiça tudo que eles tem por direito, Prefeitura e população”, disse o prefeito Neto Barros.
 
– E também faz cair por terra todos os princípios que nortearam a criação da Fundação Renova, que desde o inicio foi propalado que jamais seria para advogar as causas das empresas poluidoras. Portanto, a Fundação Renova não poderia misturar os seus objetivos, que é de compensação e reparação ambiental, com a defesa das empresas poluidoras Samarco, Vale e a BHP. A Prefeitura de Baixo Guandu repudia com veemência esta tentativa de ludibriar os municípios e forçar um acordo para retirar da Justiça a discussão de todo este problema”, acrescentou o prefeito.
 
Neto Barros lembrou que a Prefeitura de Baixo Guandu não recebeu até hoje nenhum centavo de reparação do crime ambiental e que ajuizou ação de indenização no Reino Unido.
 
“Esperamos que esta ação obtenha pleno êxito, garantindo a Baixo Guandu valor bem superior ao que a Fundação Renova ofereceu, recursos estes que poderão ser utilizados pelo próximo prefeito a serviço da população”, complementou o prefeito.
 
A Fundação Renova ofereceu R$ 12 milhões aos quatro municípios capixabas diretamente afetados pela lama da Samarco. Baixo Guandu, no caso, receberia R$ 2 milhões para quitar o prejuízo ocorrido com a lama e abriria mão de qualquer ação na Justiça. 
 
Linhares, conforme a proposta, ficaria com R$ 5,1 milhões, Colatina com R$ 4,3 milhões e Marilândia com R$ 680 mil. Os prefeitos de Colatina e Linhares seguiram os passos do prefeito de Baixo Guandu e também rejeitaram a proposta da Fundação Renova.
 
A proposta da Renova repercutiu ontem em todo o país. A TV Gazeta produziu matéria no ES 2ª Edição, que foi ao ar na noite de ontem, conforme reproduzimos abaixo:

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
Skip to content