Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Campanha de imunização contra o HPV já vacinou 570 adolescentes

A Secretaria Municipal de Saúde de Baixo Guandu divulgou na manhã desta segunda-feira (31), novo balanço da campanha de imunização contra o HPV. Até esta segunda-feira, 570 meninas de 11 a 13 anos já foram vacinadas contra o vírus papiloma humano (HPV), que pode causar câncer de colo de útero. A campanha contra o HPV acontece nas escolas das redes municipal e estadual de Baixo Guandu.

A vacina contra o HPV é injetável. A aplicação é de forma estendida e contempla três doses. A segunda é aplicada seis meses após a primeira, e a terceira, cinco anos depois. A proteção contra o vírus está sendo disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) pela primeira vez. A partir deste ano, a campanha contra o HPV passa a fazer parte do calendário nacional de vacinas.

O coordenador de imunização do município, Sílvio Nunes Ferreira, informou que as escolas foram orientadas, por meio de comunicado oficial, sobre a importância da vacina. “Junto a este documento, foi enviado ainda o chamado termo de recusa. Este deverá ser utilizado por pais ou responsáveis que não desejarem que suas filhas recebam a vacina”.

O Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que a vacina é segura. E a vacinação contra o HPV é uma estratégia de saúde pública já adotada em 51 países pelo mundo.

Prevenção

Para o primeiro ano de vacinação, o Ministério adquiriu para o Espírito Santo 192.840 doses. Será utilizada a vacina quadrivalente, recomendada pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Essa vacina oferece proteção contra quatro subtipos de HPV: os 6, 11, 16 e 18. Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero em todo mundo. A vacina protege mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus.

Saiba mais

O HPV é um vírus que se transmite por meio de relação sexual no contato direto com pele ou mucosas infectadas. Existe a possibilidade desse vírus também ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o chamado Papanicolau, anualmente. E atenção: a vacina não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais.

Informações à Imprensa
Assessoria de Comunicação PMBG
Eduardo Candeias
Fabiano Damasceno
noticia@pmbg.es.gov.br
(27) 3732-8914
Texto: Eduardo Candeias

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
Skip to content