Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Escassez mobiliza governo e entidades na busca do uso racional da água

Em tempos de crise hídrica, governo e entidades ligadas ao estudo e gerenciamento dos recursos naturais estão buscando caminhos que possam resolver, ou ao menos amenizar, o problema da escassez de água em todo o Estado. A estiagem, que já dura mais de 50 dias, fez com que as águas de importantes rios que abastecem a população capixaba chegassem a níveis bem abaixo do mínimo necessário para garantir a normalidade no abastecimento, como o Rio Doce, que em alguns trechos está completamente seco. Mesmo a chuva que caiu nos últimos dias não foi suficiente para restabelecer a normalidade no nível dos rios.

O governo do Estado vem realizando reuniões de trabalho em vários municípios com Comitês de Bacias Hidrográficas, buscando novas regras para o consumo de água por conta da pior estiagem em quatro décadas no Espírito Santo. Uma delas aconteceu na sexta-feira (06), no auditório da Diocese de Colatina. Centenas de pessoas participaram do encontro, entre elas o titular da Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (SEDURB), João Coser. Baixo Guandu foi representado pela secretária municipal de Meio Ambiente, Yvone Gobbo, e pela assessora jurídica da PMBG, Lucineia Seibel Storch.

Em Baixo Guandu, Programa Olhos D’água.

Em Baixo Guandu, o prefeito municipal autorizou a criação de um grupo de trabalho que irá detectar carências e aprofundar estudos relacionados aos recursos hídricos. Uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Vale e o Instituto Terra trouxe para Baixo Guandu o programa Olhos D’água, que vai recuperar nascentes em diversas propriedades no interior do município. Quase 50 proprietários rurais estão cadastrados para participar do programa.

"Cabe ao Instituto Terra elaborar e acompanhar, em conjunto com a Secretaria de Meio Ambiente de Baixo Guandu, os projetos de recuperação das nascentes", disse o técnico em Extensão Ambiental, Yuri Nascimento. A Vale irá financiar todo o material necessário para a realização do programa, ficando a cargo dos produtores rurais a mão de obra empregada. "Estamos atentos ao problema da estiagem que castiga não só Baixo Guandu, mas todo o Espírito Santo; de nossa parte, iremos empregar todos os nossos esforços no mapeamento e proteção dos recursos hídricos do nosso município", disse o prefeito municipal. O programa Olhos D’água deverá ter início logo após o Carnaval.   

 

Informações à Imprensa
Assessoria de Comunicação PMBG
noticia@pmbg.es.gov.br

(27) 3732-8914  

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.