Skip to content Skip to left sidebar Skip to footer

Meio ambiente

Baixo Guandu participa de apresentação sobre a Implementação do Cadastro Nacional da Agricultura Familiar

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Cleres de Martins Schwambach, participou da apresentação de Implementação do Cadastro Nacional da Agricultura Familiar no Espírito Santo. O evento foi promovido pela Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Estado do Espírito Santo — SFA ES/MAPA, entre os dias 16 e 17, no Auditório da SFA-ES, Vitória/ES.

A palestra foi direcionada para os agentes cadastradores e público identificado como beneficiados pelo Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF). O objetivo foi criar, dinamizar e ampliar as redes de emissores do Serviço de Inscrição no Cadastro Nacional de Agricultura Familiar (SICAF) no Espírito Santo.

O que é o CAF

É o instrumento da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais, instituída pela Lei nº 11.326, de 2006, destinado à identificação e qualificação das Unidades Familiares de Produção Agrária (UFPA), dos Empreendimentos Familiares Rurais e das formas associativas de organização da agricultura familiar.

Instituído pelo Decreto Nº 9.064, de 2017, que regulamenta a Lei nº 11.326/2006, determina que o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF) com inscrição ativa, é requisito para o acesso de agricultores familiares e demais beneficiários da Lei às políticas públicas de apoio e incentivo à produção agrícola familiar.

O Decreto Nº 9.064/2017 também determina que o CAF substituirá a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) para fins de acesso às ações e às políticas públicas destinadas à Unidade Familiar de Produção Agrária (UFPA) e aos empreendimentos familiares rurais.

A DAP, até que se conclua a implementação do CAF, permanece como instrumento de identificação do agricultor familiar para fins de acesso às políticas públicas de apoio e incentivo à produção agrícola familiar.

Desta forma, o período de transição da DAP para o CAF não interromperá o acesso dos agricultores familiares às políticas públicas.

Quais são os benefícios do CAF?

O Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF) será o requisito básico para o agricultor (a) familiar e para o empreendedor familiar rural, bem como qualquer de suas formas associativas de organização da agricultura familiar (CAF JURÍDICO) acessarem as diversas políticas públicas voltadas para o incentivo e a geração de renda para agricultura familiar.

O acesso as essas políticas públicas serão realizadas com maior transparência e segurança, pois as informações declaradas pelo beneficiário requisitante serão validadas por informações já existentes em outras bases de dados do governo federal.

O CAF irá identificar todos os membros que compõem uma Unidade Familiar de Produção Agrária (UFPA), e um Empreendimento Familiar Rural, bem como, a composição das formas associativas de organização da Agricultura Familiar, permitindo dessa forma que o governo federal obtenha um retrato mais amplo e real do cenário da agricultura familiar.

Veja quais são as principais políticas públicas do governo federal para a agricultura familiar:

  1. Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pronaf;
  2. Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER);
  3. Seguro da Agricultura Familiar (SEAF);
  4. Garantia-Safra;
  5. Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM);
  6. Programa de Garantia de Preços da Agricultura Familiar (PGPAF);
  7. Programa de Aquisição de Alimentos (PAA);
  8. Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE);
  9. Programa Nacional de Proteção e Uso do Biodiesel (PNPB);
  10. Beneficiário Especial da Previdência Social;
  11. Auxílio Emergencial Financeiro;
  12. E demais programas estaduais e municipais.

Mais informações: www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/agricultura-familiar/caf

Atendimento à imprensa:
Secretaria Municipal de Comunicação Social
Tel.: (27) 3732 – 8900
E-mail: comunicacao@pmbg.es.gov.br

Consórcio Público Rio Guandu: Reunião sobre a implantação do 1.º Ciclo do Programa Estadual de Sustentabilidade Ambiental e Apoio aos Municípios

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente de Baixo Guandu, Cleres de Martins Schwambach, participou nesta última quarta-feira (27/04), da reunião sobre a implantação do 1.º Ciclo do Programa Estadual de Sustentabilidade Ambiental e Apoio aos Municípios (Proesam), realizada no município de Afonso Claúdio com os Secretários de Meio Ambiente dos municípios que compõem o Consórcio Público Rio Guandu.

A reunião foi conduzida pela equipe da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEAMA) do Governo do Estado. Durante a reunião, o consórcio promoveu um momento de alinhamento e orientação para os secretários municipais, sobre a habilitação e responsabilização do Licenciamento Ambiental Municipal, com o intuito de alinhar a modalidade consorciada e orientar quanto aos procedimentos.

Prefeitura assina termo de colaboração com Associação de Catadores

Organização da Sociedade Civil Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Cidadão Amigo do Meio Ambiente. Foto Ascom

A Prefeitura Municipal de Baixo Guandu celebrou com a Organização da Sociedade Civil Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Cidadão Amigo do Meio Ambiente na manhã desta sexta-feira (19), a transferência de recurso por meio de um termo de colaboração com o objetivo de apoiar às ações relativas à coleta, triagem, classificação, armazenamento e a comercialização dos resíduos sólidos recicláveis, gerados pela população e comerciantes do município.

O valor total a ser transferido para a Associação de catadores de Materiais Recicláveis será de R$ 88.809,84 (oitenta e oito mil e oitocentos e nove reais e oitenta e quatro centavos) conforme aprovado no Plano de Trabalho apresentado. Após a assinatura o repasse será feito através de duas parcelas, sendo uma imediatamente após a assinatura e publicação do termo.

“O trabalho em conjunto com a sociedade civil é importante para evolução do município, com a assinatura do termo faremos o repasse de recursos para a associação melhorar a coleta, e amplia a reciclagem dos resíduos sólidos no município em Baixo Guandu”, destacou o prefeito municipal Lastênio Cardoso.

A Associação de Catadores além de realiza a coleta e garantir o sustento de forma legal para os associados, desenvolve junto a Secretaria Municipal de Educação várias ações nas escolas municipais para conscientização dos estudantes sobre a importância da reciclagem de resíduos sólidos.

Produtores rurais de Baixo Guandu começam a receber capacitações

Reunião sobre benefícios para o homem do Campo. Foto Ascom

Na tarde desta quinta-feira (11), o prefeito municipal, Lastênio Cardoso e o Secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Cleres de Martins Schwambach, estiveram em reunião com representantes de instituições do estado e do Sindicato Rural para implementar no município, novos projetos para promover o desenvolvimento, sustentabilidade e a geração de emprego e renda para os produtores rurais.

Durante a visita, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (FAES), Júlio Rocha, destacou o funcionamento do Sistema e as ações e prestações de serviços ofertadas nas áreas jurídica, de meio ambiente e de regularizações de imóveis junto à Receita Federal do Brasil (RFB) e ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), além de outros serviços personalizados conforme demanda do produtor rural.

O encontro teve a participação dos representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE, que apresentaram as capacitações voltadas para os produtores rurais do município que a partir da produção e beneficiamento podem aumentar a renda com o beneficiamento da produção.

Já nesse mês de novembro, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Espírito Santo (Senar-ES), irá realizar dois treinamentos para as Associações do interior:

  • Capacitação para Associação de Produtores da Vila Nova do Bananal – (Produção de Derivados do Leite) – 16/11/2021 e 18/11/2022;
  • Capacitação para a Associação Córrego Dois Irmãos – (Apicultura Básica) – 17/11/2021 e 19/11/2021.

Outros 32 treinamentos devem ser ofertados durante o ano de 2022 para os produtores rurais do município através de parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Espírito Santo.

Comunidades de Baixo Guandu são contempladas pelo Programa Reflorestar

A Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente informa à população que está aberto o edital para o Programa Reflorestar. O Programa Reflorestar é uma iniciativa do Governo do Estado do Espírito Santo sob a coordenação da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEAMA), com o acompanhamento pelo Consórcio Público Rio Guandu.

O Projeto tem como objetivo apoiar o plantio de florestas para aumentar a segurança hídrica, a conservação de solos e a geração de renda para o produtor rural, por meio do pagamento por serviços Ambientais (PSA).

A adesão ao Programa traz diversos benefícios, sendo eles a proteção do solo, que é fundamental para a agricultura, a proteção da biodiversidade, preservando espécies que são essências para nossa vida, como insetos polinizadores e espécies que podem ser utilizados na alimentação, na medicina e como base para outros produtos, mobilização do carbono, e contribuição para redução dos efeitos das mudanças climáticas.

“O desenvolvimento sustentável é essencial para garantir a preservação do solo e os recursos hídricos, através do programa reflorestar é possível dar o suporte aos produtores do município parar preservação ambiental”, destacou o Secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Cleres de Martins Schwambach.

Com o programa reflorestar os produtores rurais recebem apoio do Governo do Estado do Espírito Santo através do PSA (Pagamento por Serviços Ambientais) em reconhecimento aos benefícios gerados pela floresta nativa conservada ou em recuperação e como forma de pagamento para auxiliar na aquisição de insumos (mudas, material para cercamento, adubo e outros) necessários para o plantio. Os valores são conforme a tabela e corrigidos anualmente.

Edital do Programa Reflorestar